O Beijo

2005

Patrícia Reis

 

     O Beijo foi a segunda montagem da Companhia realizada, então, com recursos próprios. 

 

    Montado a partir do texto "A Companhia do Ator Careca conta a História do Beijo, com a divina intervenção do Diabo", o espetáculo surgiu como uma pesquisa sobre diferentes estilos de interpretação e dramaturgia.

 

    Usando o gesto sóciocultural do beijo como pretexto, estudamos as narrativas de burla do século XIV, sobretudo do Decamerão, de Boccaccio, as estruturas da Commedia Dell'arte e a comédia popular Brasileira como base da construção de uma estilização física e um tempo-ritmo precisos, sem perder a fluência envolvente que a comédia exige.  

 

    Pequisamos também a comédia moderna influenciada pelo cinema mudo, pelo nonsense, os irmão Marx e Mounty Python, como elemento de quebra da expectativa e desconstrução de histórias muito padronizadas como os contos de fadas e mesmo os clássicos de Shakespeare.

   

     Houve ainda espaço para a exploração de elementos líricos da narrativa, para cobrir um terrítorio que vai da Bíblia Sagrada, passando pelo Feudalismo e os filmes de Máfia, em um espetáculo coeso e dinâmico, ao contrario do que podem achar os que apenas leem esse texto e não viram o trabalho em 2005.  

 

     Trata-se de um espetáculo de exploração dos recursos do teatro épico para contar a história dos costumes sociais e morais que transformaram o significado do beijo ao longo da existência do homem. Investigando personagens desde a origem da humanidade até os tempos atuais, a historia do beijo é contada em toda sua inocência e crueldade.

 

     O beijo de Judas; os beijos roubados; o beijo que condenava ao casamento imediato na Itália do século XV; o beijo da morte na Máfia; o beijo nos contos de fadas e as experiências pessoais dos próprios atores.

 

     O Beijo esteve em cartaz no espaço cultural Studio das Artes, atual sede do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, e foi apresentado também em Votorantim, no interior do Estado de São Paulo.  

Texto de Alberto Guiraldelli

Direção de Mônica Granndo

Elenco:    Alberto Guiraldelli

               Adalberto Ribeiro

               Ari Cegatto

               Carolina Costa

               Eduardo Aznar

               Edison Vigil

               Henrique Schulze

               Milena Coelho

               Patrícia Reis

               Paulo Oliveira

               Simone Petinelli

               Vanessa Teixeira

               Walter Oliveira            

Cenografia: Fábio Jerônimo

Figurinos: Mônica Granndo

Trilha Sonora Original: Reinaldo Guiraldelli

Iluminação: Mônica Granndo

Ass. de Direção: Ari Cegatto

Op. de Luz e Som: Wesley Macieira, Carolina Ribeiro e Lucas De Lucca

Produção: Companhia do Ator Careca